Gestão de caixa escolar: passo a passo para otimizar seu fluxo

Atualmente, sabemos que para que algo funcione perfeitamente é preciso de organização!

Quando tratamos de administrar finanças, nos referimos, principalmente, ao fluxo de caixa.

Desse modo, podemos dizer que para uma instituição funcionar com precisão, esse deve ser um dos setores com mais atenção e empenho.

 Afinal, tendo em vista que uma instituição pode influenciar no futuro de milhões de alunos, é necessário cuidar do seu financeiro com muita atenção para que não haja imprevistos.

Quer saber como melhor sua administração financeira? Confira o nosso passo a passo!

1. Planejamento

Planejamento é chave para quase tudo na vida!

Como há muito se fala por aí: disciplina é liberdade. Desse modo, só a partir de um planejamento financeiro que te guie no melhor caminho, você poderá se sentir mais confiante para lidar com o grande desafio que é a gestão escolar.

É importante, também, que esse planejamento não seja apenas em curto prazo, para o mês ou para o semestre, e sim em longo prazo, para o ano todo.

 Inclusive levando em conta as suas nuances e possíveis mudanças.

2. Mantenha-se atualizado

Mesmo contando com planejamento, todos os processos são passiveis de mudanças.

Por essa razão, você precisar estar sempre atualizado!

Desse modo, qualquer aumento ou queda de preço, mudança de fornecedor, descontos repentinos, mudança de mensalidades, ou seja, todo e qualquer imprevisto financeiro deve ser devidamente registrado.

E todo esse processo pode ser muito mais fácil se você tiver a ajuda de um software desenvolvido exclusivamente para gestão escolar – conheça a CBK.

Além disso, o controle gerado a partir dessas informações pode ser muito útil para desviar recursos de um setor menos estratégico para outro.

3. Tenha controle da entrada e saída de dinheiro

Embora faça parte do planejamento, as mensalidades precisam receber a devida atenção quando estamos falando de otimizar o fluxo de caixa de uma escola.

Isso se deve principalmente por ser essa a renda que, a grosso modo, mantém a instituição em constante funcionamento.

Aqui é importante também medir o índice de inadimplência. Para isso, basta apenas utilizar-se da fórmula:

Valor total de mensalidades não pagas / valor total de mensalidades cobradas.

Aqui o numerador será incluído no critério de inadimplência.

O resultado fica assim:

  • Abaixo de 2% – índice de inadimplência baixo;
  • Entre 2% e 3% – índice de inadimplência dentro da média;
  • Acima de 3% – índice de inadimplência alto;

4. Acompanhe os investimentos

Do mesmo modo com que você acompanha os possíveis desperdícios e com isso realoca recursos em setores mais estratégicos, você precisa verificar constantemente se os seus investimentos estão dando bons resultados.

Dessa forma, é preciso acompanhar a eficácia de novas metodologias, a eficiência de novas tecnologias e todos os demais investimentos da instituição.

Como já mencionado anteriormente, uma gestão inteligente é parte indissolúvel de uma escola de qualidade.

Afinal, o crescimento de uma escola depende das mentes por trás da administração!

Quer ajudar para administrar o seu fluxo de caixa? Fale com o nosso consultor (clique aqui) e vamos implementar o nosso software na sua instituição!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conversar agora
1
Falar com um consultor?
Quer falar com um consultor?